Barras El Comic

Na torcida 22/04/2013
Revista independente desenhada e escrita por Emilio Utrera conta estórias baseadas na violenta relação entre torcidas argentinas

el-comic1

Lançada em outubro passado, Barras El Comic conta estórias baseadas na violenta relação entre as torcidas organizadas argentinas - as Barra Bravas. Em especial as das pequenas cidades conurbadas a Buenos Aires (Claypole, La Matanza, San Isidro, Beccar e Villa Celina), regiões consideradas perigosas.

Projeto independente, escrita e desenhada por Emilio Utrera, a terceira edição está em fase final (primeiras capas abaixo). A meta é chegar à quinta este ano. Não há periodicidade fixa. Baixa tiragem, a fim de preservar a qualidade gráfica, é regra. Para encomendar, clique aqui e entre em contato. Em Buenos Aires, procure em bancas do centro.

Confira abaixo os principais trechos da entrevista que Utrera concedeu ao Futebol de Campo, intercalados por desenhos dos dois primeiros números.

el comic 5"Escolhi as torcidas, os barra bravas especificamente, pelo gosto por desenhar a violência e a dinâmica do corpo humano, dos grupos humanos. Sempre que desenho algo penso primeiro que tenho de me divertir. Depois trato de que seja sobre um tema provocador, com alta dose de atualidade, e que retrate uma realidade marginal."

"Interesso-me pela paixão por uma equipe, pelo que provoca nas pessoas e pelo que provoca em mim. Toda essa energia junta, sob uma mesma bandeira, é muito forte. Que não se confunda com apologia à violência, preconceito que notamos claramente quando buscamos patrocinadores."

"A violência é cultural. Está nas famílias, na escola, nos sistemas de governo e seus poderes. Os vocabulários são violentos, a programação da TV é ultraviolenta, os videogames são violentos etc. Portanto, a violência nos estádios é relativa. É um tipo de violência muito mais exposta, mas não necessariamente maior do que as outras."

el-comic-2

"Dos quadrinhos minhas influências vêm de Frank Miller; Bill Scienkewicz; Sam Kieth Franquin; Enrique Breccia e Rafael Grampá (Brasil). Da pintura argentina e latino-americana admiro Antonio Berni e Alonso Siqueiros. No cinema, destaco 'El Bonaerense'; 'Pizza, Birrra y Faso'; 'Cidade de Deus'; 'Tropa de Elite'; 'Machete'. Obras com forte identidade local, mescladas com algo de fantasia."