12-12-12

Na torcida 12/12/2012
A arquibancada do Pacaembu na emocionante despedida de São Marcos

Jogo de despedida geralmente termina empatado e com muitos gols. Seis a seis; oito a oito... No amistoso em homenagem a Marcão, no entanto, seria correto cumprir só um desses protocolos. Acabar empatado ok, mas nada de gol no Santo em sua noite de adeus.

Os gols da seleção brasileira de 2002 contra o combinado alviverde de 1999 saíram quando Marcão brincava como centroavante. Sérgio, seu eterno suplente, ficou na meta. E antes de se aventurar no ataque, além de não sofrer gol, o homenageado ainda fez um, de pênalti.

36 mil pagantes, maior público do Palmeiras no ano. Aos 26 minutos do segundo tempo a partida parou. O relógio marcava 12 horas PM, do dia 12, mês 12, de 2012. O 12 que eternizou a camisa do Santo. Com os refletores desligados, um feixe de luz foi dirigido a ele. Marcos encerrou a festa com um discurso tocante. Humilde, pediu aos palmeirenses que "jamais o esqueçam". Como se tal milagre fosse possível.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TARJINHA BRANCA